Cervejaria corta CO2 com algas

  Mulheres de Algas

Vídeo de Isabelle Rodd, cortesia da BBC News, Austrália

Sesde abrindo suas portas pela primeira vez em 2012, os proprietários da Young Henrys Brewery, em Sydney, Austrália, consideraram seu impacto no meio ambiente e tentaram operar da forma mais sustentável possível. Em 2015, eles se tornaram parte do programa solar de investimento comunitário de Pingala, que viu painéis solares instalados no telhado de seu negócio em Newtown. Não só significa que os habitantes locais podem investir em energias renováveis, mas também significa que a cervejaria pode abastecer cerca de 25% de suas necessidades de energia com o sol. 

Em 2020, eles se uniram aos cientistas do Cluster de Mudanças Climáticas da Universidade de Tecnologia de Sydney para encontrar uma maneira de tornar a fabricação de cerveja um processo mais neutro em carbono, e a cervejaria instalou dois biorreatores de microalgas de 400L em seu piso. 
 
Até agora, a pesquisa provou que o uso de algas pode fazer a diferença na mudança climática ao consumir CO2 (um subproduto do processo de fermentação) e liberar oxigênio. E no processo Young Henrys chega ao mercado uma cerveja mais neutra em carbono.

Todos os direitos reservados. É necessária permissão para reimprimir artigos na íntegra. Deve incluir declaração de direitos autorais e hyperlinks ao vivo. Contato editorial@algaeplanet.com. Algae Planet aceita manuscritos não solicitados para consideração e não se responsabiliza pela validade das alegações feitas no editorial submetido.

Anúncios
Anúncio Algametrics

Subscrever